<

A reivindicação voltou a estar em cima da mesa numa reunião do Conselho Regional da Agricultura (órgão consultivo do Governo que integra diversas associações regionais representativas do setor agrícola), que se reuniu hoje na Horta, ilha do Faial.

"Há aqui uma aposta do Governo para que o próximo quadro comunitário dê resposta àqueles que são os desafios do setor", disse aos jornalistas, no final da reunião, o secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, recordando que o executivo "sempre defendeu o reforço do POSEI", programa que considerou ser um "importante para o setor agrícola regional".

Nesse sentido, o governante comprometeu-se a "trabalhar com o Governo da República" para, juntos, exigirem da União Europeia um reforço de ajudas comunitárias para o setor agrícola.

A reivindicação é também partilhada por Jorge Rita, presidente da Direção da Federação Agrícola dos Açores, que à saída da reunião do Conselho Regional da Agricultura, insistiu na necessidade do reforço das verbas do POSEI.

"É preciso aumentar a dotação no próximo quadro comunitário de apoio e temos mais do que argumentos, porque as ajudas para a região têm sido bem aplicadas e existe um desenvolvimento no setor", recordou o representante das associações agrícolas da região, lembrando que o problema é que os Açores partiram de "patamares muito mais baixos do que a nível nacional e a nível europeu", que agora é necessário "recuperar".

Jorge Rita disse, por outro lado, ter a expectativa de que o preço do leite pago à produção nos Açores possa registar um aumento em 2018, apesar de se ter verificado um "aumento substancial da produção" no ano passado.

"A expectativa que temos é de que o preço de leite, que está muito baixo na região em comparação com o resto do país e a Europa, possa registar reajustamentos nas subidas", sublinhou o presidente da Federação Agrícola, lamentando, porém, que os representantes das indústrias de laticínios da região continuem a recusar fazer esses aumentos.

O secretário regional da Agricultura e Florestas, entende que, sobre esta matéria, "os mercados é que vão ditar os preços", mas recordou que, atualmente, "existe a tendência de haver um aumento da produção na Europa" e que isso poderá levar a um "ajustamento do preço do leite" também nos Açores.

A procura pela carne açoriana, a necessidade de uma campanha de desratização em todas as ilhas, as dificuldades nos transportes dos produtos açorianos e a preocupação com a valorização do leite e da carne açorianas foram outros temas discutidos pelo Conselho Regional da Agricultura.